O cinto da tua blusa

xa se non usa, toma demónio!

non quero a tua riqueza

quero a pobreza do meu António